Início
Domingo, 23 Julho 2017
PESQUISAR
  CINEMA
  TEATRO
  MUSEUS
  LIVROS
  DISCOS
  OUTROS
  CONCERTOS
  TELEVISÃO
  TURISMO
  OUTROS
Museus
Palácio da Ajuda mostra realeza em Monte Carlo

A exposição intitula-se “Fastes et Grandeur des Cours en Europe” ("Fausto e Grandeza nas Cortes Europeias") e decorrerá de 11 de Julho a 11 de Setembro próximos no Espaço Ravel, em Monte Carlo, Principado do Mónaco, comissariada por Catherine Arminjon, conservadora-geral do Património da França.

“Nesta exposição participam várias Casas Reais europeias e de Portugal escolheram o Palácio da Ajuda”, que foi residência real até 1910, disse a directora.

“As nossas colecções, além de serem todas verdadeiras, na medida em que tudo pertenceu e foi escolha da Casa Real e não há acrescentos de bom ou mau gosto, são de excelente qualidade”, sublinhou a responsável.
Para a excelência das colecções do Palácio contribuíram muito as compras da Rainha Maria Pia (mulher de D. Luís) que “não só adquiriu objectos e peças em todas as partes por onde viajou – França, Itália, Alemanha – como por catálogo”.
Por catálogo, a Rainha adquiriu “uma extraordinária colecção de pratas americanas, que espantou o próprio Presidente [Ronald] Reagan quando esteve cá”, contou Isabel Silveira Godinho.

Por outro lado, a directora do Palácio salientou que a Rainha tinha um gosto "para os artistas contemporâneos mais arrojados da época".

Relativamente às colecções do Palácio a responsável referiu ainda várias peças de mobiliário, pinturas e tapeçarias do século XVIII, além da baixela Germain.
Isabel Silveira Godinho afirmou à Lusa que deverá ser montado em Monte Carlo “um ambiente da corte portuguesa com a maior pompa e circunstância”.

“Vamos mostrar um Portugal rico com a pompa que uma corte no século XIX exigia”, acrescentou.

A directora do PNA afirmou que “há condições para criar este ambiente” e pretende que “a nossa exposição fique no olho do visitante”.

A responsável adiantou que “já houve um primeiro encontro, com um pedido muito alargado e exigente que estão agora a reformular”.

Questionada sobre as normas de segurança, a directora afirmou serem as máximas e as que jamais viu. “É um edifício específico para estes acontecimentos e que tem as condições máximas de segurança que jamais vi”, declarou Isabel Silveira Godinho.

O Fórum Grimaldi apresenta esta exposição como uma “volta à Europa inédita que faz luz sobre soberanos como os Imperadores da Áustria, Francisco José e Sissi, os Reis da Espanha Filipe V e Isabel Farnésio, o Imperador Napoleão e Josefina, assim como a corte monegasca até ao reinado de Rainier III (1949-2005), entre outros.

O Palácio Real da Ajuda foi idealizado por D. João VI que do Rio de Janeiro enviou sugestões para a decoração. Porém, Isabel Silveira Godinho afirmou que foi o casal real D. Luís e D. Maria Pia aquele que “moldou o palácio e o tornou a sua marca”.
(ES)








< Voltar

Registo

Actualidade
A nova introspecção de Jorge Molder

Foi na tarde de ontem, 05 de Dezembro, inaugurada “A Escala de Mohs”, a mais recente exposição fotográfica do artista plástico português.
Nelson Mandela morreu aos 95 anos na sua casa

Após vários meses em estado critico, Nelson Mandela, o mais emblemático resistente contra o Apartheid, morreu.
Não perca as grandes oportunidades do StockMarket

Está de regresso o Stockmarket, com os seus grandes descontos e oportunidades únicas para fazer um bom e sortido shopping.

 

Últimas notícias
RTP estreia "Os Filhos do Rock" retratando a década de 80
2013-12-08
Morreu Edouard Molinaro
2013-12-08
Júlio Resende encantou ao piano com temas de Amália Rodrigues
2013-12-08
 

 
© JORNAL HARDMUSICA. Todos os direitos reservados.
powered by Codezone