Início
Quarta, 26 Setembro 2018
PESQUISAR
  CINEMA
  TEATRO
  MUSEUS
  LIVROS
  DISCOS
  OUTROS
  CONCERTOS
  TELEVISÃO
  TURISMO
  OUTROS
Discos
Katia Guerreiro lança novo CD e prepara comemorações da década

A fadista,já conhecida pelas suas arrecadas, escolheu 12 temas dos repertórios de vários fadistas e constituiu o alinhamento do novo CD, "Os fados do fado", que é editado dia 10 pela JBJ.

"Nas minhas andanças fui instintivamente escolhendo este e aquele tema e quando dei por mim tinha um álbum de fados que gosto de cantar, entre eles o primeiro que cantei, ainda nos Açores, 'Amar'", disse a fadista à Lusa.

Este tema de Florbela Espanca, criado por Teresa Silva Carvalho, foi o primeiro fado que Katia Gerreiro cantou quando integrava um grupo folclórico nos Açores.
"Há temas que se tornam referenciais, e constituem etapas pelas quais todos acabamos por passar, como são os temas que escolhi", referiu.
Além de "Amar", o novo CD, editado um ano após a saída do álbum de originais "Fado", inclui "Rosinha dos limões", "Gaivota", "Fado da sina", "Procuro e não te encontro", "O namorico da Rita" ou "Arraial".

Temas dos repertórios de Amália Rodrigues, Tony de Matos, Max, Tristão da Silva, Hermínia da Silva, João Ferreira Rosa, são outros incluídos no disco.
Antes de fazer qualquer álbum oiço muito o que se fez e no fundo este álbum reflecte isso mesmo, fui ouvir aqueles que são referências”, afirmou a fadista.

"Vira dos malmequeres", que evoca "a saudosa memória de Raul Solnado", é o tema de abertura do álbum.
"Um tema que não é do repertório fadista, é do cancioneiro popular mas que a Amália cantou, e que está ligado à saudosa memória de Raul Solnado", realçou.
A fadista é acompanhada à guitarra portuguesa por Guilherme Banza, à viola por João Mário Veiga e no contrabaixo por Rodrigo Serrão. Conta ainda com a participação especial do guitarrista António Mão-de-Ferro.
A participação de António Mão-de-Ferro, que é da área dos blues, foi por mero acaso, mas acho que são dois estilos que casam bem, o blues e o fado, gostei desta sonoridade e quis inclui-la no meu disco”, referiu.
A fadista afirmou que o CD foi concretizado "em tempo recorde", no meio das recentes viagens que realizou ao Canadá, Arábia Saudita, Bahrain e Noruega.
"Durante as minhas viagens fui digerindo a ideia e sei que as plateias reagem bem quando canto estes fados, 'Gaivota' ou 'Lisboa à noite'".

"Irei apresentar o CD ao vivo na FNAC do Chiado dia 14, pois quinta-feira irei estar a participar em Gotemburgo no Parlamento Europeu da Cultura", disse a fadista à Lusa.

O álbum gravado nos estúdios de Vale de Lobo, de Rui Veloso, inclui ainda os temas "Agora choro à vontade", "Nem às paredes confesso" e "Há festa na Mouraria". A fadista Katia Guerreiro, que dia 10 edita um novo álbum, e nas véspera dá uma conferência de imprensa em Lisboa no El Corte Inglés, inicia a 27 de Janeiro as celebrações dos dez anos de carreira na Filarmónica de Berlim, onde, além do concerto, irá realizar um "workshop" de fado.

Ora aí está, uma década que Katia Guerreiro pormete celebrar a rigor e, a menina que entrou no fado por acaso,se rfecordarmos entrevistas anetriores á imprensa, nomedamente devido a um disco de Amália que lhe foioferecido, atévai à Alemanha explicar o fado,isto é o "dar workshops de fado".

Em declarações à Lusa, a fadista afirmou que vai comemorar "muito a sério os dez anos de carreira" que se completam no próximo ano.
"Quero partilhar esta alegria com o público e todos aqueles que me têm seguido estes dez anos, que foram muito bem vividos e aproveitados por mim", disse a fadista.

Em 2010, Katia Guerreiro prevê ainda editar um novo álbum, a sair no segundo semestre.
As celebrações incluem "várias surpresas, algumas já na manga", e uma série de espectáculos, tanto em Portugal como no estrangeiro.
A fadista deverá realizar "uma grande digressão à Noruega", irá actuar em Israel, voltará aos palcos canadianos e sul-africanos, e em Junho efectua uma temporada de 12 concertos com a Orquestra da Normandia.

Katia Guerreiro editou o primeiro álbum, "Fado Maior", em Junho de 2001, um trabalho cujas vendas ultrapassaram os 10.000 exemplares em Portugal e a L´Empreinte Digitale garantiu a edição mundial em Novembro de 2002.
Em Dezembro de 2003 editou o segundo álbum, "Nas mãos do fado", e há cerca de quatro anos o álbum "Tudo ou nada", com qual se apresentou em várias salas e festivais de música, nomeadamente, o de Île de France, em Paris, o de Martigues e o Internacional da Canção do Cairo.

O ano passado, em Novembro, editou "Fado", pela Sony Music, em que interpreta temas de Florbela Espanca, Fernando Tavares Rodrigues, M.º Luísa Baptista.
(IB)








< Voltar

Registo

Actualidade
A nova introspecção de Jorge Molder

Foi na tarde de ontem, 05 de Dezembro, inaugurada “A Escala de Mohs”, a mais recente exposição fotográfica do artista plástico português.
Nelson Mandela morreu aos 95 anos na sua casa

Após vários meses em estado critico, Nelson Mandela, o mais emblemático resistente contra o Apartheid, morreu.
Não perca as grandes oportunidades do StockMarket

Está de regresso o Stockmarket, com os seus grandes descontos e oportunidades únicas para fazer um bom e sortido shopping.

 

Últimas notícias
RTP estreia "Os Filhos do Rock" retratando a década de 80
2013-12-08
Morreu Edouard Molinaro
2013-12-08
Júlio Resende encantou ao piano com temas de Amália Rodrigues
2013-12-08
 

 
© JORNAL HARDMUSICA. Todos os direitos reservados.
powered by Codezone